Teste seus conhecimentos

Um jeito descontraído de buscar conhecimento e trazer o assunto da Educação Financeira e Previdenciária para o seu dia a dia. Aqui você encontra testes e brincadeiras que tratam desses temas de forma leve e interessante. Divirta-se e não deixe de recomendar para seus familiares e colegas de trabalho!

Como você anda falando sobre dinheiro em família?

Para quem tem crianças e adolescentes em casa, falar sobre dinheiro não pode ser tabu, pois, quanto mais cedo, melhor. Aqui está um teste que pode ajudar você a avaliar como o assunto está sendo tratado ou não em família. Veja se está no caminho certo para essa abordagem.

1) Quando a palavra "dinheiro" é assunto dentro de casa?

a) Não falamos sobre o assunto, dinheiro não é coisa para tratar com crianças por perto.

b) Compartilhamos as experiências financeiras no dia a dia com as crianças e atribuímos responsabilidades para todos.

c) Falamos apenas quando a situação financeira aperta, para que eles saibam quando não é hora de gastar. Fora este período, o assunto não é discutido.

2) O que seus filhos aprendem sobre finanças pessoais na escola?

a) Não tenho acompanhado se finanças pessoais está entre os temas trabalhados em sala de aula.

b) Exijo que meus filhos passem de ano e deixo apenas para a escola essa tarefa, independentemente de qual seja o tema.

c) Sei que matérias eles estão estudando e, sempre que posso, faço relações entre o que aprendem na escola e a rotina de casa, como conferir a conta do supermercado.

3) Como você trabalha a mesada com seus filhos?

a) Não faço relação entre a mesada e o aprendizado sobre finanças pessoais. Quando começarem a trabalhar vão receber o próprio salário e aprender na prática.

b) Dou dinheiro eventualmente, para recompensar um comportamento bom, mas não estabeleço responsabilidades de gastar bem ou poupar dinheiro para o futuro.

c) Vejo a mesada como uma forma de ensiná-los da importância da nossa relação com o dinheiro ao longo da vida, ajudando-os a se organizarem e a fazerem bom uso dele.

4) Qual sua reação quando seu filho gasta demais na cantina?

a) Explico a ele como conferir os gastos e checamos juntos qual a razão do valor ter ido além do combinado.

b) Cancelo a conta da cantina e deixo sem direito a lanche da cantina por alguns dias, como forma de "castigo".

c) Relevo a situação, pois isto também acontece comigo sempre que excedo os gastos no cartão de crédito e não consigo pagar.

5) O que você faz com as crianças quando chega a hora de ir ao supermercado?

a) Levo e aproveito para ensinar as crianças a fazer escolhas e eleger prioridades entre o que "precisamos" e o que "queremos".

b) Não levo para evitar birra, elas querem tudo que vêem pela frente.

c) Levo ao mercado e deixo comprarem quase tudo o que quiserem para agradá-los.

6) De que forma você trata o tema de economia doméstica na rotina de casa?

a) Não tratamos, pois crianças e adolescentes não têm condições de entender ainda como cuidar do próprio dinheiro ou do dinheiro da casa.

b) Tratamos por meio de bons exemplos, conversando sobre banhos demorados ou lâmpadas acesas, entre outros hábitos que ajudam a reduzir os gastos domésticos.

c) Só tratamos quando passa algo na TV, como jogadores de futebol ou artistas milionários que não têm que se preocupar mais com pequenos gastos domésticos...

Resultado

1) b; 2) c; 3) c; 4) a; 5) a; 6) b

Se você acertou 6 respostas: parabéns! Transparência e sinceridade são os caminhos mais fáceis para conseguir reorganizar as finanças familiares e incentivar os filhos a terem interesse pelo tema, buscando um futuro melhor e mais estável.

Se você acertou 4 a 5 respostas: você está no caminho certo! Educação financeira deve começar cedo. Que tal aproveitar mais as oportunidades para isso dentro de casa? Com isso seus filhos estarão aprendendo ainda mais a lidar com expectativas e responsabilidades.

Se você acertou 2 a 3 repostas: compartilhar assuntos relacionados a finanças pessoais deve fazer parte do bom convívio familiar. Saber poupar e lidar bem o dinheiro depende de aprendizado e paciência. Quanto antes seu filho tiver essa oportunidade maiores as chances dele ter um futuro mais tranquilo. Aproveite esta fase para incentivá-lo!

Se você acertou menos de 2 respostas: está na hora de falar sobre finanças pessoais com seu filho (a), ajudá-lo a fazer escolhas conscientes e reconhecer seu esforço nas tarefas em que é necessário lidar com algum dinheiro. Reveja seus próprios hábitos e comportamentos financeiros. Lembre-se que está sempre educando pelo exemplo!

Com informações de Meu Bolso em Dia.

Você tem inteligência emocional para lidar com suas relações no trabalho?

Quando se fala de Educação Financeira, investimentos ou qualquer outro assunto que envolva dinheiro, família, amigos e relacionamentos, as palavras organização, análise e autoconhecimento sempre aparecem. Constantemente precisamos nos entender para nos planejar e tomar decisões saudáveis. No trabalho não é diferente, saber gerenciar suas emoções e entender onde a razão deve falar mais alto é uma habilidade poderosa.

E aí, como você é quando se trata de lidar com esse desafio?

1) Você comete um erro constrangedor, percebido por todos no trabalho. Qual é a sua reação?

A - Tento apagar a situação da minha cabeça para não sofrer à toa.

B - Passo dias chateado comigo mesmo, remoendo o episódio, mas sigo em frente depois.

C - Encaro a situação, procurando fazer algo para remediar o erro e evitá-lo no futuro.

2) Como você se sente quando alguém faz uma crítica forte ao seu trabalho?

A- Não chego a me chatear, tenho "pele grossa e nem dou o troco

B- Se o conteúdo da crítica fizer algum sentido para mim, assumo como aprendizado

C- Fico bastante ofendido e revido na hora, comigo é ´"bateu, levou".

3) Você está em um mau dia e alguém próximo lhe pergunta o que aconteceu. Como você responde?

A- Defino o que estou sentindo com palavras específicas como "frustrado" ou "ansioso".

B- Digo algo como "não estou muito bem hoje", mas evito precisar o sentimento.

C- Não respondo e disfarço, pois tenho receio disso virar motivo de fofoca.

4) Um dos seus colegas tem uma personalidade bem difícil, como você lida com essa pessoa?

A- Não escondo minha raiva e frustração. Quanto mais ela souber que a detesto, melhor.

B- Tento racionalizar e evitar sentimentos negativos para entender seu ponto de vista.

C- Procuro a presença de outras pessoas na hora de falar com ela.

5) Você avalia que, em geral, costuma julgar bem o caráter alheio?

A- Não, infelizmente tenho várias impressões que se revelam equivocadas.

B- Em geral, mas depende de tempo e oportunidade de conhecer a fundo essa pessoa.

C- Sim, costumo interpretar rapidamente as intenções e motivações dos outros.

6) Com que frequência você cultiva mágoas e rancores?

A- Às vezes. Mas só quando a ofensa for muito grave.

B- Sempre. Tenho muita dificuldade em perdoar quem me ofende.

C- Raramente. Prefiro evitar o mal-estar que esses sentimentos me causam.

7) Você tem dificuldade de dizer não quando alguém lhe pede uma tarefa?

A- Sim. Aceito novos desafios mesmo quando minha agenda já está cheia.

B- Não. Quando é necessário consigo dizer não para os outros e até para mim mesmo.

C- Às vezes. Tenho medo de ofender o outro com minha recusa, em alguns casos.

Resultado

Confira os pontos:

Se atingiu mais de 20 pontos, parabéns, você sabe cultivar a empatia e as boas relações no trabalho.

Se atingiu até 15 pontos, você está se esforçando, mas precisa desenvolver mais a empatia para cultivar bons relacionamentos

Se não passou dos 10 pontos, comece a prestar mais atenção nas próprias atitudes e observe o que seu comportamento causa nas pessoas.

A

B

C

1

1

2

3

2

2

3

1

3

3

2

1

4

1

3

2

5

2

3

1

6

2

1

3

7

1

3

2

Quem é você no clima festivo de fim de ano?

Fim de ano chegou e junto todas as festas, encontros e agitos do período. Tudo é muito bom, tirando o fato de que fica mais fácil se descontrolar financeiramente, perder a mão e extrapolar gastos com comida, presentes e passeios.

É importante ficar atento aos excessos, mas não deixar de celebrar. E para ajudar nisso, elaboramos essa brincadeira para testar o seu perfil: quem é você nessa ocasião de festas e tentações!

1) O pessoal do escritório, do grupo da família no whatsapp e do futebol de domingo já está agitando o amigo secreto de fim de ano. Você:

A - É o primeiro a se animar e quer entrar em todos sem se preocupar em saber do preço pré-estabelecido ou como serão as despesas na festa de revelação. Confirmou presença em todos e só vai saber os gastos na hora.

B - Não consegue falar não para esse tipo de brincadeira, adora amigo secreto, então decide ir em todos. Mas comenta sobre a importância de se colocar um preço padrão para não sair muito caro.

C - Analisa o orçamento do fim de ano e as propostas e acaba abrindo mão de algum convite, se necessário. Sugere o preço limite para os presentes e participa da organização da festa para saber quanto gastará e não ser pego de surpresa.

2) As propagandas aumentaram, tem Papai Noel chamando para entrar em todas as lojas e vários produtos interessantes apareceram também nos sites de venda:

A - Você até tenta resistir, mas acaba gastando mais do que previsto. Não sobrou nada do 13º porque pagou tudo à vista, sem utilizar o cartão de crédito.

B - Não pensa muito, afinal "dinheiro é solução, não problema" e compra o que quer, parcelando no cartão de crédito e lançando mão até da poupança.

C - Você também quer aproveitar esse clima e adquirir alguns itens novos, preparando-se com antecedência e deixando separado "o caixinha do fim de ano" com um extra.

3) Na hora de pensar a ceia de Natal ou de Réveillon, você:

A - É a favor de algo colaborativo e participa das decisões sobre a festa desde o começo. Prefere combinar para dividir o gasto e o trabalho de fazer uma ceia gostosa.

B - Não tem muito tempo a perder. Prefere que falem o valor pela festa e você deposita. Não quer se preocupar, nem que isso signifique pagar alto e entrar no vermelho.

C - Como não se planejou muito bem e não tem uma quantia separada para as festividades, espera as decisões serem tomadas e participa como pode.

4) O décimo terceiro já foi depositado e sua conta bancária está positiva. É um ótimo momento para:

A - Aproveitar o dinheiro que entra como "extra", investir em algo para o futuro e colocar uma parte para dar um "up" no plano de previdência da empresa.

B - Zerar as dívidas que foram se acumulando ao longo do ano e renovar o guarda-roupa com o resto do dinheiro para estar em dia com a moda.

C - Atender aos desejos de consumo que ficaram represados nos meses anteriores e deixar para pensar nas contas quando chegar o extrato do cartão de crédito.

Veja a pontuação por resposta:

1) A.1 B.2 C.3

2) A.2 B.1 C.3

3) A.3 B.1 C.2

4) A.3 B.2 C.1

Quem é você?

Até 4 pontos - Você vive a vida intensamente, é um eterno otimista que deixa a questão financeira para depois. É bom se divertir e levar a vida de maneira leve, ainda mais com as festas de fim de ano, mas isso pode ser feito com responsabilidade e planejamento. Evitar os impulsos de consumo é um bom começo para ter finanças mais saudáveis.

Entre 5 e 8 - Você está no meio do caminho para ser "o cara" que aproveita as festas tranquilo porque tem um "colchão" para os gastos! Já sabe o que fazer para ter uma vida financeira saudável, mas ainda se deixa levar por gastos desnecessários. Com um pouco mais de esforço pode virar o jogo e riscar do seu vocabulário a palavra "dívida".

Entre 9 e 12 - Você se organiza, planeja e poupa, por isso encerra o ano sem problemas no campo das finanças. Final de ano com amigos e familiares é uma boa oportunidade de compartilhar sua experiência. Só tome cuidado para não ser muito duro em relação ao dinheiro, você também merece entrar no clima de festa!

Palavras cruzadas sobre Educação Financeira e Olimpíadas

Divirta-se e aprenda com as palavras cruzadas temáticas sobre Educação Financeira e Olimpíadas. Para preencher, clique na imagem para baixar o PDF, imprima o diagrama e siga a ordem das perguntas (de cima para baixo e da esquerda para a direita).

verticais - de cima para baixo - campo azul
1 No mercado financeiro, o termo é usado para determinar a capacidade que um título tem de ser convertido em moeda.
2 Abreviação do nome de um imposto incidente sobre algumas operações financeiras.
3 Modalidade de previdência com acumulação de capital de longo prazo, no qual o participante dedica uma quantia regular a uma reserva financeira para a vida depois da aposentadoria.
4 Ocorre quando a pessoa, ou empresa, pega emprestado o dinheiro que necessita. Neste caso, é importante ficar atento aos juros que serão cobrados por quem empresta e a capacidade de pagamento de quem está pegando o dinheiro emprestado. No caso de pessoas físicas, é recomendável que as parcelas dos empréstimos tomados nunca ultrapassem 25% da renda mensal familiar, para que as finanças não saiam do controle.
5 Abreviação de Imposto de Renda.
6 Termo utilizado para descrever um grupo de investimentos que o investidor possui. A carteira pode ser composta de vários instrumentos financeiros (ex. ações, títulos de renda fixa etc).
7 Serviço que todo participante do Plano PAI com mais de 6 meses de trabalho em uma das empresas patrocinadoras pode solicitar, com taxas de juros competitivas e a possibilidade de pagamento em até 24 meses.
8 Abreviação do nome do Plano da Fundação Itaúsa Industrial, cujo diferencial é a contrapartida que a empresa assegura em valor igual à contribuição feita pelo beneficiário.
9 No caso de dívídas, é uma forma de garantia: caso o devedor deixe de cumprir com a obrigação assumida, uma terceira pessoa terá que arcar com o pagamento.
10 Três perfis são disponibilizados nesse momento: Conservador, Moderado e Agressivo. A diferença de concentração dos investimentos em renda fixa ou variáveis leva cada um deles a ter níveis de rentabilidade e risco diferentes.
11 Termo usado para definir quando dois impostos diferentes incidem sobre o mesmo bem ou fato gerador.
12 Abreviação do nome da instituição filiada à Previdência Social, cuja finalidade é promover a arrecadação, a fiscalização e a cobrança das contribuições sociais, gerir os recursos do Fundo de Previdência e Assistência Social (FPAS) e, conceder e manter os benefícios previdenciários.

horizontais - da esquerda para a direita - campo laranja
1 Esporte olímpico aquático coletivo, praticado dentro de uma piscina, semelhante no princípio básico do handebol, em que as equipes devem tentar jogar a bola dentro da baliza adversária, defendido pelo guarda-redes.
2 São utilizadas, juntamente com lamparinas, para transportar a chama Olímpica desde Olímpia, na Grécia, até a cidade-sede, mais precisamente até o Estádio Olímpico (Regra 18 da Carta Olímpica).
3 Como definido na Carta Olímpica, deve ser amplamente praticado por homens em pelo menos 75 países e em quatro continentes e por mulheres em pelo menos 40 países e em três continentes. Para inclusão nos Jogos Olímpicos de inverno, um esporte deve ser praticado amplamente em pelo menos 25 países e em três continentes (Regra 52 da Carta Olímpica).
4 Em relação aos Jogos Olímpicos, refere-se aos possíveis benefícios que, a longo prazo, serão garantidos para a comunidade e o país, bem como à contribuição de cada edição dos Jogos para a continuidade e fortalecimento do Movimento Olímpico. É um aspecto-chave considerado na avaliação das propostas das Cidades Candidatas. Os vários aspectos relacionados ao legado (por exemplo, esporte, economia, cultura, etc.) são levados em conta desde o início do processo de candidatura.
5 Juntamente com os diplomas, são os mais importantes prêmios dados em uma competição nos Jogos Olímpicos, e são oferecidas em reconhecimento à excelência esportiva para honrar aqueles atletas que ficam em primeiro, segundo e terceiro lugares em uma final de competição Olímpica (Regra 70 da Carta Olímpica).
6 Todos os atletas e oficiais que representam um Comitê Olímpico Nacional nos Jogos Olímpicos.
7 Em referência à terminologia dos Jogos, o termo faz referência ao participante em um esporte dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos (ou Paraolímpicos).
8 Complexo de hospedagem seguro reservado exclusivamente para atletas e para os oficiais que os acompanham (Regra 42 da Carta Olímpica).
9 Evento internacional multiesportivo de alto nível para atletas deficientes organizado em moldes semelhantes àqueles adotados para os Jogos Olímpicos e realizado a cada quatro anos, imediatamente após os Jogos Olímpicos na mesma cidade-sede. Realizados pela primeira vez em 1960 em Roma, Itália, têm sua origem em Stoke Mandeville, na Inglaterra, onde ocorreram as primeiras competições esportivas para deficientes físicos, como forma de reabilitar militares feridos na Segunda Guerra Mundial.
10 Equipamento usado em competição náutica esportiva, que passou a fazer parte das modalidades dos Jogos Olímpicos em 1936 nas modalidades slalom e velocidade.
11 Atividade que envolve a realização ou a participação em um evento do esporte ou disciplina em uma determinada instalação das Olimpíadas, sob controle técnico e direção das Federações Internacionais de Esporte.

Clique aqui para ver as respostas.

Alfabeto de imagens para brincar

Decifre o código secreto para encontrar o nome de um programa que ajuda você a entender mais de educação financeira e previdenciária.

Faça esta brincadeira com as crianças, desafiando-as a descobrirem quantas palavras conseguem formar com esse novo "alfabeto".

Resposta:

Confira esse teste e descubra algumas frases de famosos sobre a chegada da 3ª idade

Envelhecer é uma arte, diz o ditado. Muitas pessoas célebres já escreveram sobre isso, com sabedoria e bom humor. Conheça algumas delas, relacionando a partir da numeração das frases os autores e seus respectivos perfis.

Frases Perfis Autores
1 "Não estou envelhecendo, estou me tornando um clássico." ( ) Ilustrador, dramaturgo e escritor brasileiro, famoso por seu humor, falecido em 2013 após 70 anos de carreira. ( ) Cora Coralina
2 "Não podemos acrescentar dias em nossas vidas, mas podemos acrescentar vida em nossos dias." ( ) Cantora, conhecida como rainha do rock brasileiro, que começou sua carreira no grupo "Os Mutantes". ( ) Machado de Assis
3 "Qualquer idiota consegue ser jovem. É preciso muito talento para envelhecer." ( ) Escritor brasileiro, autor de obras clássicas como Dom Casmurro, considerado um dos maiores nomes da literatura nacional. ( ) Rita Lee
4 "Geriatras me aguardem. Vou botar fogo no asilo." ( ) Poetisa goiana, que só em 1965, aos 75 anos, conseguiu realizar o sonho de publicar o primeiro livro. ( ) Millôr Fernandes

Resposta: (1) Machado de Assis (escritor brasileiro ...); (2) Cora Coralina (poetisa goiana...); (3) Millôr Fernandes (ilustrador e escritor, famoso pelo humor...); (4) Rita Lee (rainha do rock brasileiro)

Dica: Leia no 5º Fascículo de Educação Financeira e Previdenciária mais questões desse teste

Você está preparado para 2016?

Ao longo de 2015, os diversos canais de comunicação do Programa Parceiros do Futuro apresentaram conteúdos para apoiar sua compreensão e imersão nos conceitos da Educação Financeira e Previdenciária. Agora é a hora de testar seus conhecimentos.

Afinal 2016 está aí e um novo ciclo começa. Você está preparado para tirar de letra os desafios financeiros do próximo ano?

Marque a opção que mais combina com você:

1) Em 2015:

a) Acumulei mais dívidas.

b) Negociei minhas dívidas.

c) Passei os 12 meses "no azul".

2) Com relação aos meus conhecimentos sobre educação financeira e previdenciária:

a) Dediquei pouquíssimo tempo para estudar esse tema.

b) Comecei a me interessar, mas ainda preciso aprender muita coisa.

c) Ainda tenho muito que aprender, mas evolui bastante. Li e compartilhei com amigos e familiares o que já aprendi.

3) Sobre meu orçamento doméstico:

a) Assim como em 2014 e nos anos anteriores, tudo continua confuso. Vivo meio apertado(a) o tempo todo.

b) Hoje já tenho consciência do quanto gasto por mês. Já é o primeiro passo.

c) Está tudo sob controle. Aprendi a economizar, a pagar as contas em dia e, agora, sobra um dinheiro para investir no futuro.

4) Quando penso na minha aposentadoria...

a) Tenho a sensação que este é um sonho distante e difícil de realizar.

b) Comecei minha preparação, mas ainda invisto pouco nesse projeto.

c) Tenho um plano de previdência complementar e sei que meu equilíbrio financeiro no futuro está garantido.

5) Ao pensar em 2016, me sinto...

a) Ansioso e perdido. Me preparei pouco e sei que vou precisar mudar de atitude.

b) Esperançoso. Acredito que vai dar tudo certo. Devo entrar o ano sem dívidas.

c) Confiante. Já reservei o dinheiro do IPVA, do IPTU, do material escolar, das férias e pretendo seguir firme com meu projeto de ser responsável financeiramente.

Resultado:

Maioria A - Você está no estágio 1 da conscientização sobre educação financeira e previdenciária. Sua relação com dinheiro ainda é complicada. Que tal mudar de atitudes e aproveitar 2016 para aprender mais?

Maioria B - Você está no meio do caminho. Já tem consciência sobre o tema e, talvez, 2016 seja o ano da virada. Invista mais tempo nesse aprendizado. Os resultados só dependem de você.

Maioria C - Temos aqui um indivíduo responsável financeiramente. Cuidar do seu dinheiro não parece ser um problema para você. Continue assim e espalhe essa sabedoria por aí!

Bê-á-bá do mercado financeiro

Descubra quais palavras ligadas ao mercado financeiro você conhece. Assinale qual dos significados é o mais apropriado para cada item. Ao final do teste, descubra se você é um expert ou iniciante nessa área:

  1. Alienação
  2. Transferência ou cessão de bens.
  3. Falta de informação sobre determinado tipo de investimento.

  1. Dumping
  2. Aporte alto de recursos em investimentos do tipo renda fixa
  3. Venda de produtos a preços mais baixos que os custos, para reduzir a concorrência e conquistar mais mercado.

  1. Insider
  2. Operações ilegais no mercado de ação.
  3. Investidor que tem acesso a informações privilegiadas (antes que estas se tornem conhecidas pelos investidores em geral).

  1. Pregão
  2. Sessão de compra e venda de papéis numa bolsa de valores.
  3. Tipo de investidor que só comete erros.

  1. Rally
  2. Maratona de investimentos em ações da bolsa realizada em 24 horas.
  3. Recuperação dos preços após um período de declínio ou estagnação.

Resultado:

1a; 2b; 3b; 4a; 5b.

Que figura histórica você seria quando o assunto é dinheiro?

Vamos descobrir que personagem da nossa história você seria? Nessa brincadeira você vai conhecer algumas pessoas que tiveram suas biografias marcadas por alguma característica específica. Pensando neles como perfis de consumidores e poupadores, vamos falar sobre educação financeira e previdenciária.

Complete as frases de acordo com o seu jeito de levar a vida:

  1. Meu salário caiu na conta...

(a) vou pesquisar novos tipos de investimento e refletir como poupar dinheiro.

(b) hora de entrar em um consórcio e tentar comprar um imóvel novo.

(c) dia de levar a família pra jantar em um restaurante caro.

(d) não vou nem olhar. Não sei quanto tenho na conta, nem quero saber.

  1. Quem economiza é...

(a) inteligente, é um exercício para o cérebro.

(b) planejado, há sempre algo novo a conquistar.

(c) bobo, a vida é só uma.

(d) ... não sei, nunca poupei e nem pretendo.

  1. No futuro me imagino...

(a) mais esperto com relação ao meu dinheiro.

(b) com um carro novo, uma casa nova e já pensando no próximo projeto.

(c) frequentando festas badaladas.

(d) não penso nisso. Tenho medo do futuro.

  1. Minhas economias estão...

(a) no meu bolso ainda. Mas já pesquisei vários tipos de investimento para colocá-las.

(b) em vários tipos de investimento, procuro diversificar para ganhar.

(c) na minha geladeira, cheia de guloseimas, e no meu passaporte, cheio de carimbos.

(d) fica tudo na minha conta, mas nem sei quanto tenho.

  1. Nas horas vagas, gosto de...

(a) estudar.

(b) praticar esportes de aventura ou jogar xadrez.

(c) viajar, fazer compras ou ir a uma boa festa.

(d) comer, beber e dormir.

Resultados

Perfil 1: Aristóteles, o sábio

Maioria A - Muito do que sabemos hoje partiu dos estudos de Aristóteles. O conhecimento o movia. Aristóteles revolucionou desde a biologia até a ética e, a partir de então, nada permaneceu como antes.

Se você tirou esse perfil, significa que você é aquela pessoa que gosta de estudar, pesquisar e descobrir uma nova maneira de fazer as coisas. Aprenda a usar essa capacidade como um ponto motivador para a ação e só tome cuidado para não pesquisar demais e ficar travado, sem agir.

Cristóvão Colombo, o conquistador

Maioria B - Aventureiro e ambicioso. Colombo fez uso do saber da sua época para explorar e conquistar novos mundos. De natureza curiosa e valente, estava sempre focado no próximo alvo.

Esse perfil representa pessoas que gostam de correr riscos para conquistar sempre mais e mais. A ambição na medida certa é uma virtude, mas a ganância excessiva pode ser perigosa. Tome cuidado com suas apostas.

Maria Antonieta, a despreocupada

Maioria C - Menina austríaca que virou rainha na França, Maria Antonieta usou o luxo para se impor na corte e acabou conquistando muitos desafetos. Sofisticada e dada à vida boa - adorava uma festa. Mas, todos os excessos cometidos a levaram a pagar um preço alto: a morte, durante a Revolução Francesa, em 1793.

A alusão à Maria Antonieta mostra que a pessoa gosta de viver bem, mas sem pensar no futuro. É aquele que gasta tudo que ganha, não teme o dia de amanhã e passa uma imagem de ser pouco responsável com o dinheiro que tem. Quem sabe ainda dá tempo de virar o jogo! Viver com prazer é bom, mas pensar no amanhã é fundamental.

Dom João VI, o medroso

Maioria D - Dom João VI (1767-1826) foi Rei de Portugal e fugiu para o Brasil quando soube da notícia que as tropas de Napoleão caminhavam em direção ao país europeu. A ele não se devem grandes feitos no Brasil. Tinha fama de medroso, desajeitado e guloso. Dizem algumas biografias que entrou para história mais pela sorte de fazer parte da família real do que por competência.

Nessa brincadeira, o perfil ligado a Dom João VI mostra aquele cidadão típico bonachão. Não corre riscos e também não planeja muito o que faz. "Deixe a vida me levar" é seu lema. Está na hora de acordar e começar a pensar no futuro!

Teste: você planeja bem as férias em família?

O mês de julho chegou e, com ele, as férias escolares. Pais e mães com filhos em idade escolar começam a pensar desde já: como vou entreter as crianças sem gastar muito? Descubra se você sabe curtir bons momentos com a família, planejando bem as férias.

  1. Como você encara uma viagem familiar?
    1. Não planejo. Primeiro viajamos, depois eu penso na conta a pagar.
    2. Tento pagar tudo à vista, mas, eventualmente, me aperto com as contas.
    3. Faço uma reserva mensal para pagar as viagens na época de férias.
  2. Qual sua atitude em relação aos gastos dos filhos nas férias?
    1. Passo todos os gastos deles no meu cartão de crédito. Não sei dizer não.
    2. Centralizo em mim os pagamentos. Quando eles querem algo, me pedem.
    3. Trabalho com o conceito de mesada. Cada filho recebe um valor fixo para gastar.
  3. Quando está em viagem de férias, como ficam as contas da casa?
    1. Quando volto e vejo todos os boletos vencidos, tomo o maior susto!
    2. Pago o que dá e negocio algumas pendências depois.
    3. Programo débitos com antecedência e peço a alguém para pagar outras contas.
  4. Na hora de comprar passagens e escolher opções de hospedagem, como você faz?
    1. Em geral, compro passagens e hospedagem às vésperas de viajar.
    2. Geralmente peço dicas para amigos, não costumo pesquisar por conta própria.
    3. Procuro comprar tudo com antecedência, pesquisando melhores ofertas.
  5. Quem decide o próximo destino para as férias?
    1. Eu decido sozinho e planejo para onde ir conforme minhas expectativas.
    2. Geralmente cedo à vontade das crianças.
    3. É uma conversa em família. Todos sugerem, pesquisam preços e decidem juntos.

RESULTADO

Maioria A - Você é o famoso viajante aventureiro sem planejamento. Vira e mexe está endividado por conta de um passeio ou viagem. Está na hora de mudar de atitude e cuidar melhor do seu dinheiro.

Maioria B - Você é o viajante aprendiz. Já sabe que é preciso planejar, mas ainda comete alguns deslizes. Siga o exemplo de quem faz bem esse planejamento. Aos poucos, irá aprendendo como chegar lá.

Maioria C - Você é o viajante consciente. Age com responsabilidade até na hora de aproveitar as férias e consegue tirar o melhor de cada sua situação. Seu perfil faz de você um explorador habilidoso, sempre pronto para uma experiência gratificante (e sem se endividar!).

Teste - Seu filho sabe lidar com dinheiro?

Falar sobre dinheiro com os filhos é algo necessário para uma educação completa. Afinal, a criança também lida diariamente com questões monetárias. A mesada, o valor necessário às despesas em casa, o troco do lanche, o presente desejado - tudo isso entra na rotina de uma pessoa em formação e os pais acabam tendo papel fundamental nessa caminhada.

Propor a eles um teste é um bom jeito de começar a conversa com os filhos sobre esse assunto. De um jeito divertido, os pais podem introduzir hábitos saudáveis no momento em que estão aprendendo a lidar com o dinheiro. Com esse teste, você também ficará sabendo quais aspectos precisam ser reforçados na educação financeira das crianças, dentro e fora de casa.

Lembre-se: o teste pode ser feito com sua ajuda, mas é importante que a criança escolha a própria opção diante das perguntas.

http://delas.ig.com.br/filhos/teste-seu-filho-sabe-lidar-com-dinheiro/n1237545627006.html

Teste: você é organizado com suas finanças?

Para algumas pessoas, manter equilíbrio na relação entre "o quanto recebo" e "o quanto gasto no mês" é uma tarefa complexa e penosa. Contudo, uma série de dicas pode contribuir para sua mudança de atitude com relação ao gastar e ao poupar.

Saber qual é o seu perfil é o primeiro passo. Confira no teste abaixo em qual categoria você se encaixa. A partir daí é só começar a introduzir algumas práticas da educação financeira e previdenciária na sua rotina.

Escolha uma entre as quatro alternativas a que mais se aplica à sua vida em cada uma das situações listadas:

  1. Costumo listar por escrito todas as contas a pagar com suas respectivas datas de vencimento para não perder o prazo
    1. Sempre.
    2. Eventualmente.
    3. Raramente.
    4. Nunca.
  2. Minha situação em relação a enfrentar emergências com um recurso reserva é:
    1. Faço essa reserva e procuro aumentá-la periodicamente.
    2. Tenho uma pequena quantia guardada.
    3. Já tive, mas usei essa poupança e nunca a refiz.
    4. Nunca guardei dinheiro para emergências.
  3. Sobre o uso de planilhas no computador ou aplicativos no celular para ajudar no controle financeiro
    1. Me considero praticamente um especialista em gestão de finanças pessoais.
    2. Tenho uma lista simples, mas que me ajuda muito.
    3. Já tentei, mas desisti.
    4. Tenho preguiça. Nunca usei.
  4. Quando tenho dificuldades para gerir minhas finanças procuro ajuda
    1. Sempre - de um especialista, familiar ou amigo.
    2. Já recorri a amigos e familiares algumas vezes.
    3. Pedi ajuda poucas vezes. Tenho vergonha de falar sobre esse assunto.
    4. Prefiro me virar do jeito que posso. Nunca pedi ajuda em momentos difíceis.
  5. Sobre pagar dívidas em dia, meu comportamento é:
    1. Pago tudo em dia. Esse é o meu estilo.
    2. Sempre que possível pago em dia. Raramente me endivido.
    3. Eu tento, mas não consigo. Sempre estou com alguma dívida.
    4. Tenho muita dificuldade em cumprir com essas responsabilidades. Estou sempre devendo.

Resultado

Maioria opção A

Você pode se considerar uma pessoa financeiramente organizada. Que tal começar a dividir esse conhecimento com outras pessoas? Quando vivemos em um ambiente repleto de agentes multiplicadores sobre educação financeira e previdenciária a tendência é que todos se desenvolvam em conjunto.

Maioria opção B

Você está no caminho. Ter uma atitude vigilante com relação aos rendimentos e aos gastos do mês não é algo fácil - mas também não é uma tarefa que dê dor de cabeça. Com um pouco mais de atenção e boa vontade, você pode se tornar um excelente gestor de suas finanças pessoais.

Maioria C

Não desista tão fácil. Você faz parte do perfil que se preocupa com as finanças, mas acaba desistindo de se organizar no dia a dia. Tenha em mente que, no fim das contas, essas tarefas simples irão facilitar a sua vida. Com uma pequena mudança de hábitos você já vai sentir a diferença.

Maioria D

Chegou a hora de tomar as rédeas de suas finanças. A atitude indiferente com relação à sua vida financeira implica em problemas para você e para aqueles que vivem ao seu redor. Que tal tentar um novo jeito de viver? Uma boa forma de começar é pedindo ajuda para amigos e familiares que já têm um perfil mais controlado. Aproveite que acabou de fazer esse exercício e faça um "test drive".

Você é um comprador compulsivo? Teste ajuda a descobrir

Comprar produtos desnecessários, em quantidade exagerada e sem planejamento pode representar não só um problema financeiro, mas também de saúde. Um teste elaborado pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e pela empresa de avaliação de crédito Serasa Experian ajuda o consumidor a descobrir se tem esse tipo de distúrbio.

O teste propõe que o consumidor pense em suas compras mais recentes. A partir daí, ele deve responder a algumas questões, como se tem o hábito de comprar apenas o que precisa ou se fez uma pesquisa prévia de preços. Se você quer colocar à prova seus impulso consumista faça o teste.

Você vive em paz com o dinheiro?

A edição de dezembro/2014 da Revista Pé-de-Meia trouxe uma entrevista com o educador financeiro Mauro Calil sobre como planejar entradas e saídas financeiras. Esse é segredo para se viver em paz com o dinheiro. O Portal Parceiros do Futuro apresenta um teste baseado nos ensinamentos do educador para você. Confira:

  1. Você consegue se planejar para pagar todas as suas despesas mensais?
    1. Com certeza.
    2. Faço o possível, sempre evitando ficar com alguma conta no vermelho.
    3. Tenho dívidas acumuladas que acabam comendo parte do meu salario todo mês.
  2. Suas contas...
    1. São pagas em dia, religiosamente.
    2. Prefiro o uso de parcelas para conseguir pagar minhas contas em dia.
    3. Não consigo pagá-las em dia e muitas vezes preciso recorrer ao cartão de crédito.
  3. Durante uma viagem em férias, como você se comporta?
    1. Não ultrapasso minha meta de despesas diárias e anoto todas em uma planilha.
    2. Tenho uma média planejada de gastos por dia e procuro não extrapolar esse limite na maioria das vezes.
    3. Ajo por impulso, passo muitas das despesas no cartão e só me preocupo com as dívidas, quando volto para casa.
  4. Você encontra uma nota de R$ 100 no bolso de uma jaqueta. Qual das expressões melhor representa sua reação?
    1. "Mais vale um pássaro na mão do que dois voando" e guarda o dinheiro.
    2. "O seguro morreu de velho" e pensa em como gastá-lo.
    3. "Dinheiro na mão é vendaval" e sai gastando na hora...
  5. Se sua fonte de renda deixasse de existir por algum motivo, seu padrão de vida atual...
    1. Poderia ser mantido por mais de um ano.
    2. Poderia ser mantido por alguns meses.
    3. Deixaria de existir no dia seguinte.
  6. Como você planeja a sua aposentadoria?
    1. Tenho um plano de previdência privada e ainda costumo fazer poupança.
    2. Tenho um plano de previdência privada, mas faço a contribuição mínima possível.
    3. Não tenho plano de previdência privada e não costumo pensar no futuro.

Resultado

Some 6 pontos a cada resposta "a", 3 pontos a cada "b" e 0 a cada "c" e veja se concorda com o perfil correspondente às suas respostas.

De 36 a 24 pontos - PLANEJADO

"O planejado tem uma vida mais previsível, mas deve tomar cuidado para não se tornar escravo da planilha", diz o educador financeiro Mauro Calil.

De 15 a 23 pontos - MODERADO

"Encontra o equilíbrio, tem consciência sobre o uso do dinheiro ao mesmo tempo em que não se escraviza por ele, sabendo compensar impulsos de consumo sem comprometer o futuro", exemplifica o professor.

De 0 a 14 pontos - DESCONTROLADO

"Está no outro extremo da ponta e terá muitas surpresas desagradáveis relacionadas ao dinheiro ao longo de sua jornada", alerta Calil.